Projeto realiza treinamento de descentralização de soro antiofídico para distritos indígenas do AM

Projeto coordenado por pesquisadores do Instituto de Pesquisa Clínica Carlos Borborema (IPCCB) iniciou nesta segunda-feira (28) um curso de capacitação para médicos e enfermeiros de sete Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI) do Amazonas, que visa a descentralização do tratamento antiveneno nos acidentes ofídicos no Estado.

Foto: Thiago Freire/FMT-HVD

A iniciativa é uma parceira da Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) com o Ministério da Saúde (MS) o Instituto Butantan e a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP). A cerimônia de abertura, realizada na manhã de hoje no Auditório Graça e Wilson Alecrim, no IPCCB, contou com presença do presidente da FMT-HVD, Dr. Marcus Guerra, do diretor do Departamento de Atenção à Saúde Indígena da Secretaria Especial de Saúde Indígena do MS, Dr. Ernani Sousa Gomes, do representante da Coordenação Estadual de Saúde Indígena da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas, Ronaldo Seixas Barros, da consultora técnica e médica veterinária da Coordenação Geral deVigilância em Zoonoses e Doenças de Transmissão Vetorial da Secretaria de Vigilância em Saúde do MS, Dra. Lúcia Montebello e do diretor técnico da FVS-RCP, Dr. Daniel Barros.

Foto: dra. Jacqueline Sachett/FMT-HVD

Durante toda a semana, os profissionais de saúde participarão de atividades que incluem: a identificação dos 4 gêneros de serpentes causadoras de envenenamentos no Brasil: Bothrops (jararaca), Lachesis (surucucu-pico-de-

jaca), Crotalus (cascavel) e Micrurus (coral verdadeira), bem como serpentes não peçonhentas; avaliação epidemiológica, manejo clínico e complicações dos acidentes ofídicos, atendimento pré hospitalar, entre outros.


Os participantes também terão a oportunidade de realizar checklist mínimo para as unidades de atenção primária no atendimento dos acidentes ofídicos e discutir casos clínicos, treinamento Laboratorial para realização de teste de

coagulação, simulação realista e visita hospitalar aos pacientes internados.


O treinamento é parte do projeto de "Descentralização do tratamento antiveneno nos acidentes ofídicos na Amazônia Brasileira: gerando evidências sobre a segurança e efetividade", que tem como investigador principal o médico infectologista da FMT-HVD Dr. Marcus Lacerda e co-investigador principal e coordenador o diretor de Pesquisas da FMT-HVD, Dr. Wuelton Marcelo Monteiro.




Fotos: Dra. Jacqueline Sachett/FMT-HVD e Thiago Freire/FMT-HVD