• Caroline Soares

Pesquisa avalia implementação de teste para diagnóstico de deficiência de enzima G6PD

A deficiência da enzima G6PD acomete cerca de 5% da população amazônica. Isso quer dizer que a cada 100 pessoas com malária por Plasmodium vivax, 5 podem ser hospitalizadas por hemólise associada a primaquina - o medicamento utilizado para o tratamento da doença.

G6PD (Glicose-6-Fosfato Desidrogenase) é uma enzima protetora presente no organismo humano. Pessoas com deficiência na produção dessa enzima podem apresentar reação (hemólise) ao uso de primaquina - medicamento para tratamento da malária por Plasmodium vivax. Atualmente, não é realizada a triagem da enzima na população, sendo frequentemente diagnosticada quando os pacientes são hospitalizados,
Diego Brito. Foto: IPCCB

A fim de estudar esse cenário o doutorando e mestre em Doenças Tropicais e Infecciosas pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) em conjunto com a Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Diego Brito, pesquisa a implementação de testes para diagnóstico da deficiência de G6PD antes do uso de primaquina.


De acordo com Brito, o trabalho conhecido como Safeprim, é o primeiro do mundo a estudar a implementação de triagem da deficiência de G6PD em unidades básicas de diagnóstico de malária. O doutorando é orientado e coorientado, respectivamente, pelos pesquisadores Wuelton Monteiro e Marcus Lacerda.


O estudo, financiado pela Bill and Melinda Gates Foundation, busca fornecer evidências acerca do impacto clínico, financeiro, operacional e social da implementação desses testes em Rio Preto da Eva/AM e em Mâncio Lima/AC; áreas endêmicas para malária. Brito é bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Amazonas (Fapeam).


O doutorando é membro do Centro Internacional de Pesquisa Clínica em Malária (Cipclim) e do Centro de Pesquisa Clínica em Envenenamento por Animais Peçonhentos (Cepclam) no Instituto de Pesquisa Clínica Carlos Borborema (IPCCB/FMT-HVD), onde trabalha primariamente em pesquisa clínica com antimaláricos e deficiência de G6PD, bem como distúrbios hemostáticos em acidentes botrópicos.


Teste Rápido para diagnóstico de deficiência da enzima G6PD. Foto: IPCCB

"Apesar de existirem testes para diagnóstico, os mesmos não são rotineiramente usados nas unidades de saúde, o que pode levar ao uso indiscriminado de primaquina, além de casos de hemólise", explica o doutorando. A pesquisa também visa avaliar a aceitação desse tipo de teste pelo agentes de saúde e pacientes atendidos.


No estudo são utilizados testes rápidos (TR) cuja execução, leitura e interpretação dos resultados são feitas em um curto período de tempo e não necessitam de estrutura laboratorial especializada. "No nosso caso o teste rápido é um biosensor (aparelho similar a um glicosímetro), que dá o resultado do teste em 2 minutos", explica Brito.


Brito acredita que o estudo pode trazer resultados positivos para a população amazônica, pois o uso dos testes rápidos pode tornar a triagem de G6PD em algo executável, principalmente em locais de difícil acesso, como unidades em áreas isoladas e distantes de centros especializados. Os testes rápidos não exigem o uso de laboratórios e pessoal especializado.


Os resultados do estudo podem, ainda, trazer benefícios em escala maior. "A pesquisa fornecerá evidências e metodologias que podem ser replicadas na ampliação da triagem para toda a Amazônia e outras áreas endêmicas para malária mundialmente", explica o doutorando. Os dados da Safeprim estão sendo continuamente utilizados para moldar a inserção da triagem em maior escala, pois são acompanhados pelo Estudo Trust, que visa implementar o uso de tafenoquina (medicamento de dose única para tratamento da malária por P. Vivax) em Manaus/AM e Porto Velho/RO.


A pesquisa de doutorado de Brito é uma extensão do mestrado, que mostrou o que acontece quando um paciente com deficiência de G6PD recebe primaquina sem que a triagem seja realizada antes do tratamento. "Neste estudo de casos realizado na FMT-HVD, mostramos que a hemólise frequentemente leva a anemia grave, insuficiência renal aguda, admissão em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e morte", disse. Com o doutorado, Brito pretende mostrar como isso pode ser evitado através da implementação de testes diagnóstico da deficiência em campo, onde a malária acontece.


Sobre Diego Brito

Graduado em Biomedicina pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), Brito teve a oportunidade de fazer intercâmbio acadêmico sanduíche na Michigan State University e na University of California, Berkeley, ambas universidades norte americanas. Foi, ainda, colaborador do grupo de pesquisa do Laboratório de Fisio-farmacologia Experimental (LAFFEX) da UFPI, atuando principalmente na áreas de fitoterapia, inflamação e dor.

Atualmente é doutorando em Doenças Tropicais e Infecciosas pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) em conjunto com a Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), onde também obteve título de mestre.

No IPCCB, Brito é membro do Centro Internacional de Pesquisa Clínica em Malária (Cipclim) e do Centro de Pesquisa Clínica em Envenenamento por Animais Peçonhentos (Cepclam), onde atua primariamente em pesquisa clínica com antimaláricos e deficiência de G6PD, bem como distúrbios hemostáticos em acidentes botrópicos.


Malária - é uma doença infecciosa, febril, causada pelo parasita do gênero Plasmodium. A transmissão da doença, geralmente, acontece pela picada de mosquitos do gênero Anopheles infectados, mas também pode ser transmitida pelo compartilhamento de seringas, transfusão de sangue ou de mãe para feto, na gravidez. A malária tem cura quando o tratamento é realizado adequadamente, conforme indicações médicas.

[EN] Research studies implementation of G6PD enzyme deficiency tests


G6PD enzyme deficiency affects about 5% of the Amazon population. This means that out of every 100 people infected with Plasmodium vivax malaria, 5 may have primaquine-induced hemolysis - primaquine is a drug used to treat the disease.

G6PD (Glucose-6-phosphate dehydrogenase) is a protective enzyme present in the human body. Individuals that are G6PD deficient may present a reaction (hemolysis) to the use of primaquine. Currently the brazilian population does not undergo a G6PD screening before taking the medication; often patients are only diagnosed when hospitalized.

Diego Brito, a Doctoral student and Master in Tropical and Infectious Diseases, is researching the implementation of tests for diagnosis of G6PD deficiency prior to primaquine use. The Tropical and Infectious Diseases graduate program is a cooperation between the Amazonas State University (UEA) and the Tropical Medicine Foundation Doctor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).


According to Brito the research effort known as Safeprim is the first in the world to study the implementation of G6PD deficiency screening in primary malaria diagnose units. The doctoral student is advised by researchers Wuelton Monteiro and Marcus Lacerda.


The study's goal is to provide evidence on the clinical, financial, operational and social impact of implementing these tests in Rio Preto da Eva/AM and Mâncio Lima/AC, two municipalities that are critically affected by Malaria. Safeprim is funded by the Bill and Melinda Gates Foundation and Brito's fellowship funded by the Foundation for Research of the State of Amazonas (Fapeam).


The doctoral student is a member of the International Clinical Research Center for Malaria (Cipclim) and the Clinical Research Center for Injuries by Venomous Animals (Cepclam) of the Carlos Borborema Clinical Research Institute (IPCCB / FMT-HVD). There, he works primarily in clinical research with antimalarial drugs and G6PD deficiency, as well as hemostatic disorders in botropic accidents.


"Although there are diagnostic tests they are not routinely used in health care facilities, which can lead to indiscriminate use of primaquine in addition to cases of hemolysis", said Diego. The research also aims to evaluate the acceptance of this type of test by health agents and patients.


The study uses rapid diagnostic tests. The execution, reading and interpretation of results are done in a short period of time and do not require specialized laboratory structure. "In our research the rapid diagnostic test used is a biosensor (device similar to a glucometer) that provides test results in 2 minutes," explained Brito.


Because rapid diagnostic tests do not require the use of laboratories and specialized personnel, Brito believes the study can bring positive outcomes to the Amazon population. "Rapid diagnostic tests can potentially make G6PD screening executable - especially for health care units - in isolated areas and distant from specialized health centers".

Safeprim's results may potentially bring benefits on a larger scale. "The research will provide evidence and methodologies that may be replicated in expanded G6PD screening across the Amazon and in other malaria endemic areas worldwide," explains the doctoral student. Safeprim data are continually being used to shape larger-scale screening insertion as the data is also used by a study named Trust Research, which aims to implement the use of tafenoquine (single dose drug for P. Vivax malaria treatment) in Manaus/AM and Porto Velho/RO.


Brito's doctoral research builds upon his master's thesis which showed what happens when a G6PD deficiency patient receives primaquine treatment without prior enzyme screening. "This case study conducted at FMT-HVD showed that hemolysis often leads to severe anemia, acute renal failure, admission to Intensive Care Units (ICU) and death," he said. Brito's intention is now to show this scenario can be prevented by implementing G6PD screening in isolated areas, where malaria usually occurs.


About Diego Brito

Graduated in Biomedicine from the Federal University of Piaui (UFPI), Brito also participated on an inter-university exchange program at Michigan State University and at the University of California, Berkeley. He also collaborated with the research group of the Laboratory of Experimental Psychopharmacology (LAFFEX) oat the UFPI, working mainly with herbal medicine, inflammation and pain.


He is currently a PhD student in Tropical and Infectious Diseases Graduate Program at the Amazonas State University (UEA) in cooperation with the Tropical Medicine Foundation Doctor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD). He also obtained a Master's degree from the same program.


At IPCCB Brito is a member of the International Clinical Research Center for Malaria (Cipclim) and the Clinical Research Center for Injuries by Venomous Animals (Cepclam) of the Carlos Borborema Clinical Research Institute (IPCCB / FMT-HVD).


Links e Serviços

Av. Pedro Teixeira, 25 - Dom Pedro.

Manaus - Amazonas - Brasil - 69040-000

 

+55 (92) 2127-3555 

De segunda a sexta-feira: 8:00 às 17:00hrs

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Flickr - Círculo Branco

© 2020 por Instituto de Pesquisa Clínica Carlos Borborema (IPCCB).