Manaus inicia estudo da vacina contra a Chikungunya com adolescentes

Jovens saudáveis, com idade entre 12 e 17 anos, podem participar da pesquisa. É necessário ter autorização dos responsáveis legais.

Adolescentes com idade entre 12 e 17 anos de Manaus podem se inscrever para participar do estudo da vacina contra a chikungunya. Em Manaus, a pesquisa do imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan, em parceria com a farmacêutica franco-austríaca Valneva, é coordenada pelo Instituto de Pesquisa Clínica Carlos Borborema (IPCCB), da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).

Os interessados em participar devem entrar em contato pelo número (92) 98471-7627. Os voluntários, que podem ter tido ou não a doença previamente, devem ser indivíduos saudáveis e ter autorização dos responsáveis para participar.

Gestantes ou lactantes, pessoas com condições clínicas instáveis ou com histórico de artrite e artralgia, em terapia de imunossupressão, como corticoides, ou em tratamento por radioterapia não podem ingressar nos testes.

Os participantes receberão o imunizante em dose única, seguida por acompanhamento com duração entre 6 a 12 meses. Em Manaus, a previsão é que cerca de 100 jovens participem da pesquisa, que pretende recrutar 750 indivíduos em sete centros de pesquisa do Brasil.

"Manaus foi uma das cidades selecionadas para participar desse grande estudo pela nossa expertise em conduzir ensaios dessa natureza. A vacina em estudo já demonstrou ser bastante segura em adultos e iniciou agora a fase de estudo em adolescentes", explica a médica infectologista e pesquisadora co-responsável pelo estudo, Maria Paula Mourão. O pesquisador responsável pela pesquisa em Manaus é o médico infectologista da FMT-HVD, Marcus Lacerda.


Vacina - O imunizante é, até o momento, o único contra a doença que está na fase 3 dos ensaios clínicos, a última com humanos. Os testes já realizados com adultos nos Estados Unidos mostraram que ela gera proteção e é bem tolerada em todos os públicos e faixas etárias pesquisadas, com resultados demonstrando que 96,3% dos voluntários apresentaram manutenção da produção de anticorpos por ao menos seis meses. No Brasil, o objetivo é avaliar a segurança e imunogenicidade da vacina em adolescentes com idade entre 12 e 17 anos.

"O Brasil é um país endêmico para chikungunya, uma doença que se manifesta principalmente por meio de dores articulares que podem durar meses ou até anos, e pode deixar a pessoa com dor persistente e bastante limitada em suas atividades habituais, como trabalhar e estudar", disse Mourão.

A chikungunya é uma doença infecciosa transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus, os mesmos que transmitem a dengue e a febre amarela. Os principais sintomas são febre, dores intensas nas articulações, além de dor de cabeça, no corpo e manchas vermelhas na pele.

Fonte: Instituto Butantan


Assessoria de Comunicação IPCCB - Caroline Soares (31) 99512-3006